Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

Vida com dois sentidos

Vida com dois sentidos

A ti, que me partiste o coração.

IMG_1093.JPG

 

Não te guardo qualquer tipo de rancor. Guardo, sobretudo, amor. Não só dos dois meses em que fomos namorados, mas de todo o ano que passou. Guardo os teus abraços que me faziam sentir pequenina, os teus sorrisos que me faziam derreter, todas as tuas palavras meigas e sinceras. Não guardo a mágoa que possa ter sentido durante este tempo. Não guardo nada de mau do que me possas ter feito. 

Quero lembrar-me de ti sempre como uma das pessoas de quem mais gostei na minha vida e por quem eu lutei. Muito ou pouco. Lutei e isso ninguém pode negar.  Estás guardado em mim. Hoje e sempre. Porque marcaste a minha vida. Porque me fizeste sorrir. Porque me fizeste sentir feliz.

Não te posso dizer que quero que sejas feliz com a pessoa com quem estás agora. Estaria a mentir se o fizesse. E como a sinceridade foi sempre uma das premissas mais importantes nas nossas conversas, aqui fica. Não quero que sejas feliz com outra pessoa, neste momento. Quero que aprendas a ser feliz sozinho e que aprecies isso primeiro e só depois saltes para uma relação. 

Gostava que tivesses as mesmas saudades minhas que eu tenho tuas. Gostava que sentisses aquilo que eu sinto todos os dias, que me leva quase à loucura e ao sufoco, antes que o meu lado racional tome conta de mim. Talvez por não perceber o porquê de estarmos numa fase tão cinzenta da nossa amizade. Já estivemos pior, mas, neste momento, as coisas não estão como eu gostaria que estivessem. Todos os dias me vem à cabeça o pedido que me fizeste e não compreendo o rumo que "nós" levámos. Mas a vida continua, e eu levo a minha vida com a leveza que sempre levei. Mas sempre com a pequenina esperança que algo mude. 

Hoje, depois de ter sofrido quase tudo o que tinha para sofrer, continuo a querer-te na minha vida. Continuo a querer ter aquele abraço e aquele sorriso. Continuo a querer o amigo, porque, na minha opinião, esse tipo de amor não morre. E, por muito que me tentes afastar de ti, vou estar sempre aqui. Não com toda a disponibilidade do mundo e não de braços sempre abertos, mas vou estar aqui. De onde nunca saí.

Não se apagam as pessoas de quem mais gostamos por causa de erros que elas possam ter cometido. Tu não serás apagado, nunca. Recuso-me a que isso aconteça. Porque tu vales a pena. Porque, independemente de tudo o que possa ter acontecido, gosto muito de ti. Mais do que tu possas imaginar.